TENTAR ENCURTAR O TEMPO PARA A POPULAÇÃO ADORMECIDA ACORDAR

 

Nenhuma descrição de foto disponível.

A mídia oficial, cada vez mais com seus “jornalistas” assumindo um papel de verdadeiros porta-vozes dos donos do poder econômico, elogiou a folga obtida pela Câmara dos Deputados na votação favorável à “Reforma da Previdência”, o esforço e competência de articulação de Rodrigo Maia e comemorou a humilhante derrota da oposição. Nenhuma linha sobre a “derrama” de emendas orçamentárias dadas pelo governo a quem votasse a favor e da ilegalidade dessa compra de votos. Também a mídia trabalhou para confundir e mentir à população de que tal reforma combatia privilégios e faria os empresários mais confiantes em investir, favorecendo a oferta de emprego.

O neoliberalismo predador tem entre nós conseguido seus intuitos. Desde a “PEC do Fim do Mundo”, que congela os recursos para a proteção social de saúde e educação (entre outras), a desregulamentação de leis que protegiam minorias, a revogação de direitos trabalhistas constitucionais, essa supressão previdenciária que está sendo aprovada – que também era garantida na Constituição – vem coroar a retirada da proteção social que o Estado poderia estender aos mais pobres. Isso para retirar recursos financeiros dos mais carentes para engordar o capital especulativo desejado pelo neoliberalismo predador. Uma verdadeira privatização do Estado pelo capital.

O francês Thomas Piketty (“O Capitalismo do Século XXI) assina um excelente artigo alertando que o Brasil com essa reforma aprovada torna o Brasil em “exemplo mundial de como destruir um sistema solidário de previdência e aumentar a desigualdade.”([1]) Para cometer esse crime, o governo pretende pedir crédito extra para pagar as emendas prometidas aos parlamentares comprados para aprovar a reforma.([2]) Segundo noticiado, são quarenta milhões liberados para politicagem dos agraciados, apenas para fazê-los votar numa proposta de destruição do futuro dos velhos desse país. O governo foi instrumentalizado pelo capital para a maximização dos seus lucros, retirando o que era direito dos mais pobres para a especulação do 1% que detém 20% da renda mundial.  O mesmo Piketty mostra que em 2015 no Brasil a renda do 1% mais rico da nossa população já detinha quase 30% da renda nacional ([3]). Quer dizer, já tínhamos uma pior distribuição de renda que a média global, certamente já pioramos e caminhamos para um dos resultados mais desigual do planeta.

A atenção do público foi desviada pela mídia, fazendo crer que a tal reforma melhoraria o cenário econômico. As pesquisas dizem que os brasileiros foram ludibriados e quase 50% acreditam nesse engodo. Já esquecidos que a retirada dos direitos trabalhistas prometia a mesma coisa e o desemprego aumentou, apesar de sua aprovação em vigor já há um ano e meio. Desesperado, Freixo pedia um maior tempo de discussão por entender que nem os parlamentares que apoiam a reforma tinham conhecimento de seus efeitos, quanto mais a população desinformada. Inútil. Os deputados a favor queriam antes de tudo garantir o prêmio prometido pelo governo.

Já sabemos que a extrema direita tomou o poder para completar a obra do golpe que impediu o mandato de uma presidente eleita sem ter cometido crime algum. A partir do golpe de 2016 a esquerda se enredou nas acusações de corrupção e não soube sair em campo para o enfrentamento com a extrema direita que cresceu na reta final para ganhar as eleições e fez um parlamento onde é a minoria quem defende a maioria da população, como ressaltou Jandira Feghali no discurso onde a esquerda reconhecia a derrota em placar maior que o esperado.

A eleição da extrema direita foi uma eleição patrocinada pelo ódio cultivado nos eleitores aos “malfeitos” do PT. Nessa onda foi eleito um parlamento pior do que o anterior, que já era ruim. Nada podemos esperar da batalha parlamentar. Sem palavras de ordem para colocar o povo nas ruas, a esquerda espera as revelações dos vazamentos promovidos por The Intercept Brasil, do americano Glenn Greenwald, para um pouco desestabilizar o governo. É patético ver parlamentares de oposição perguntando a Greenwald em audiência o que ele acha de ações que deveriam ser promovidas pela a esquerda. E é muito pouco o que se pode esperar daí, além da desmoralização de Moro e Dallagnol, que já são cartas que podem ser descartadas depois de já terem cumprido seu papel no golpe.

Cumprido a atribuição de atender aos verdadeiros donos do poder, o Governo Bolsonaro agora pode se dedicar a maldades que agradem o ódio de classe manifesto de seus eleitores-raiz: os protofascistas que saíram do armário autorizado pela eleição do “mito fascista”. Liberação de armas, diminuir a maioridade penal, lei da mordaça, calar o saber, destruir a educação, acabar com o SUS, desregulamentar tudo que organizava o processo civilizatório. Certamente a volta do “sabe com quem está falando”, a utilização do elevador de serviço pelos empregados, a dispensa do porteiro por desagradar a madame. Coisas importantes para a Casa Grande, que foram perdidas nessa mistura com gente da senzala que o PT deixou acontecer.

Claro que o governo resultante da eleição não é uma força hegemônica. Pode haver defecções e descartes. O próprio Bolsonaro e seus intempestivos filhos podem passar dos limites permitidos e serem descartados. Mas lá uma briga entre eles (assistimos agora um cabo de guerra entre o 02 e o Heleno zangado). Não é previsível o que acontecerá. Mas isso é lá entre eles, não participaremos.

Sou pessimista. Creio que viveremos um hiato até que a população prejudicada aceite a realidade que está sendo criada para ela. Espero que esse tempo seja breve. Verdade que não desistiremos da luta para encurtar esse tempo.

É o que podemos fazer por enquanto.

________________________

desenho: 1000TON

[1] https://www.valor.com.br/opiniao/6339199/quem-interessa-aumentar-desigualdade

[2] https://exame.abril.com.br/economia/governo-vai-pedir-credito-extra-para-bancar-emendas-prometidas/

[3] https://epocanegocios.globo.com/Economia/noticia/2017/12/no-mundo-1-mais-rico-detem-20-da-renda-brasil-e-ainda-mais-desigual.html

3 comentários em “TENTAR ENCURTAR O TEMPO PARA A POPULAÇÃO ADORMECIDA ACORDAR

  1. Caro, Edmar Oliveira, não são 40 milhões e sim quase 400 MILHÕES o dinheiro pedido por Bolsonaro ao Congresso. E essa grana vai aumentar a Dívida Pública. Isso é pura CORRUPÇÃO praticada por Bolsonaro. Mas pra todo mundo corrupção é apanágio apenas do PT.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mais um oportuno artigo do meu chapa Edmar Oliveira. Atenção, você, pobre, que acreditou no capitão bozo, votando nele pra sua vida melhorar. Equação:Povo+Pobres=POVRES !

    Curtir

  3. À está reforma da previdencia, caro amigo, veio a ser acrescida hoje nos jornais a iminente nomeação de Eduardo Bolso à embaixada do Brasil nos EEUU para costurar melhor o Brasil com a rede de extrema direita que pouco a pouco vai aumentando inclusive pela Europa ( ver acordo comercial mercosul e Europa ) somado às últimas eleições que a direita vem ganhando por lá ! De volta ao futuro ! O artigo do Piketty que vc cita deixa tudo isto muito claro, obrigada. Só não sei até quando ou aonde a pobreza vai finalmente deixar de ser manipulada como aqui . E no nosso caso acho que tudo vai passar pela reconstrução da esquerda e isto exige coragem política !

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s