NADA É TÃO RUIM QUE NÃO POSSA PIORAR

Nenhuma descrição de foto disponível.

Em fevereiro de 2017, quando ainda nem sonhava em ser presidente, o então deputado Jair Bolsonaro teve uma conversa no Whats App flagada pelo fotógrafo Lula Marques. A indiscrição do fotografo foi parar no site da revista Veja onde Jair ameaça de não visitar o filho na Papuda[1] se ele “comprasse merdas por aí”[2].

Em apenas vinte dias de governo um outro filho fez já tanta “merda” que ameaça estremecer a república. Primeiro foi suspeito de uma “rachadinha” com os salários de assessores, que seu provável motorista recolhia a parte do patrão, diga-se de passagem, prática muito comum nos deputados da ALERJ aqui do Rio e também pelo Brasil afora. O problema é que o motorista Queiroz não atendeu à convocação do Ministério Público, desapareceu, foi aparecer no Hospital Israelita em São Paulo – dizendo ter feito a retirada de um câncer, mas uma dança com os familiares postada no Ano-Novo parecia desmentir. O ex-deputado alvorou-se em dizer que os depósitos em sua conta foram feitos por ele mesmo e era fruto da venda de um imóvel.

Depois descobriu-se que Queiroz estava escondido na favela de Rio das Pedras, berço das primeiras milícias cariocas. Posteriormente, em outro processo, houve a prisão de dois importantes milicianos (justamente naquela favela) que tinham sido homenageados pelo deputado e eram ligados ao Queiroz e um deles tinha a mãe e a esposa como assessoras do deputado. Enfim, um caso de “rachadinha” foi explicada depois com venda de imóveis e a posterior e não programada relação com milicianos complica a situação do deputado, que solicitou – e foi atendido – foro privilegiado ao Ministro Fux. Parece que o filho do presidente se enrolou num novelo que ele mesmo apresentou em sua defesa.

Apesar de um assunto não ter nada a ver com o outro, os mesmos milicianos – em outro inquérito policial – são suspeitos do assassinato de Marielle, a vereadora morta há quase um ano sem que o caso tenha sido elucidado. Mesmo que esse fato não tenha nenhuma relação, o hoje senador deve explicações de por qual motivo, quando era deputado, homenageou ex-policiais já condenados e por que mantinha a mãe e a esposa de um deles como assessores. Além dos depósitos suspeitos pelo COAF – o que iniciou a questão, o filho do presidente deve explicações à sociedade sobre sua relação com a milícia carioca.

Não há aqui qualquer acusação nem ilação, apenas comentários sobre fatos amplamente divulgados na imprensa. Entretanto, o que quero dizer aqui é que nada do que está acontecendo me surpreende e parece que nem ao presidente que ameaçou não ir visitar seu filho na Papuda. Os “rolos” aqui são simplesmente previsíveis, mesmo que sejam só trapalhadas sem maiores consequências nesse mundo político bastante conturbado, mas previsível. Pelo menos pra mim e para o Jair que ameaçou de não visitar o filho na Papuda.

O que mais me incomoda é os que pousam de vestais, tendo colocado essa gente no poder, dizerem que não compactuam com os malfeitos, se comprovados, e exigem uma punição. Os Pilatos de agora lavam suas mãos.

Ora bolas, celebraram a tortura, fizeram vista grossa para ameaças de estrupo, misoginia, homofobia; o então deputado Jair Bolsonaro sempre defendeu as milícias; seu filho, agora acusado, rasgou a placa de homenagem a Marielle. E a classe média que votou nessa proposta vem agora dizer que não sabia? Que foi enganada?

O vexame em Davos com um presidente despreparado foi surpresa para essa gente? O mesmo discurso sobre “viés ideológico” e o refrão “Deus acima de Todos”, que foi usado internamente para arrebanhar incautos analfabetos políticos, foi pronunciado em Davos para o mundo civilizado e soou, no mínimo, ridículo, estapafúrdio! A classe média que votou nessa proposta não sabia disso? Ficou com vergonha de ver seu presidente solitário num bandejão de supermercado sem companhia de nenhum político ali presente? Eu achei que seria mesmo assim, tratando-se da mediocridade que eu conheço.

E tem mais, da minha parte tomara que sejam só trapalhadas sem maiores consequências e que a Globo perca a queda de braço com as acusações (a Globo tem lá seus motivos). Não que eu não os queira ver punidos se as acusações da Globo forem comprovadas. Vamos ver até onde vai os interesses da Globo. Afinal se a gente temia um governo com militares, pior um governo com a milícia.

Mas preferia que não fossem culpados, apenas trapalhões. Porque se eles forem culpados, de fato, o que nos espera é muito pior. Mourão já pode está tentando ajustar a faixa para seu tamanho. Nada é tão ruim que não possa piorar.

_______________________

[1] Prisão de Brasília, onde foram presos vários políticos.

[2] https://veja.abril.com.br/brasil/no-whatsapp-bolsonaro-diz-que-nao-ira-visitar-filho-na-papuda/?fbclid=IwAR3YE-SyP0SMFJW0_1DnIRxD3jdRr0cITeUprvMTDGK-T-LLAEHIqRnVR8U

desenho: 1000TON

2 comentários em “NADA É TÃO RUIM QUE NÃO POSSA PIORAR

  1. Bom artigo para reflexão. Alguém já disse que nessa peleja da gloebbels com a clã nazi-bolsonara, estava torcendo (e eu também) pros dois lados se fuderem! Bandidos da pior espécie, todos eles. Enquanto isso o rentistas, os banqueiros e os meia dúzia de donos de pindorama nadando em largas braçadas no capital roubado, na mão grande, desse nosso povão, jogado na lama da miséria.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s