O LOBO E O BOBO

Já estamos acostumados com os nossos deputados corruptos. Mas o último caso (talvez quando vocês lerem isso aqui já não será mais o último, porque a corrupção ali tende ao infinito e recomeça quando acaba a lista) me chamou atenção pelo aspecto familiar. Não é a primeira família pega unida em torno de um roubo, mas aqui o flagrante foi muito evidente. O senador Lobão e seus dois filhos lobinhos são denunciados no mesmo furto. Nas mesmas propinas. Pelos mesmos delatores. E aí, eu, filho de um nordestino duro no molde do caráter dos filhos, fiquei aqui matutando!

Como é que pode um pai ladrão passar, com orgulho, essa característica aos filhos? E iniciar eles no crime, da mesma forma que os nordestinos durões iniciavam os filhos na sexualidade, levando-os ao cabaré? Nesse último caso, tinha no machismo nordestino o orgulho de ter um filho também macho (as vezes não dava certo). Mesmo nos tempos do politicamente correto dos dias de hoje, quem é das bandas lá de cima compreende o pai incorreto politicamente no aspecto da sexualidade. Mas o Lobão não.

Fico aqui imaginando: levou os filhos para tomar a primeira cerveja, iniciou-os nas artes da sexualidade, e – não satisfeito – lá mesmo no cabaré, deve ter feito um desafio daqueles: “agora, meus lobinhos, lhes vou ensinar, filhos amados, a arte de roubar, porque um homem pra ser homem, só ser macho não basta. Tem que roubar. O mundo é dos espertos e não quero filho otário aqui lá casa não”. E aí, imagino, se um lobinho ousasse reclamar, que não queria ser macho, assim, tão ladrão não, o pai devia retrucar: “Quem não rouba é roubado e eu já disse que não quero filho honesto aqui em casa não”!

Estão me acompanhando? Sentem o drama? Parece que os filhos têm que trilhar o caminho de bandido dos pais. Sou de um tempo que até os bandidos não queriam essa sina para seus filhos e em casa o bandido era santo e até moralista, para livrar os filhos do caminho do mal em que ele se metera. O Lobão não. Quer os lobinhos também atrás dos três porquinhos a se emporcalharem na lama da corrupção. Pai desnaturado, esse!

Quem deve estar orgulhoso do filho é o César Maia. Seu menino parecia que tinha um problema. Não tem a cara de muito esperto e o pai não quis fazer um teste de QI. O menino foi indo aos trancos e barrancos e o pai empurrando. Surpresa: entrou na política, virou presidente da câmara e já foi até presidente da república, gente! Se bem que ele substituiu um presidente ilegítimo, mas não foi de todo ilegítimo o desempenho de um menino que todo mundo jurava que ele tinha um problema! Tá vendo? Orgulho do papai!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s